Cehop realiza palestra sobre praticidade e economia nas obras públicas

postado em: Notícias | 0

Conjunto de sistemas de informação possibilita praticidade e economia na elaboração, acompanhamento e execução de obras públicas

Com o intuito de simplificar a elaboração de projetos estruturais, detectando antecipadamente eventuais problemas que normalmente surgem no decorrer da execução das obras públicas, bem como facilitar o seu acompanhamento e fiscalização, a Companhia Estadual de Habitação e Obras Públicas (Cehop) realizou para os seus colaboradores nessa  sexta-feira, 22, uma palestra sobre a Plataforma BIM.

Voltada para engenheiros de diversas áreas, arquitetos, orçamentistas e projetistas, a plataforma BIM (Building Information Modeling – Modelagens de Informações da Construção) é um conjunto de mais de 100 sistemas de informação, no qual se permite a criação digital de um ou mais modelos virtuais precisos de uma construção. A plataforma oferece suporte ao projeto ao longo de suas fases, permitindo uma melhor análise e controle do que os processos normalmente utilizados. Concluídos, os modelos gerados apresentam uma geometria e dados precisos necessários ao apoio às atividades de construção, sem um único erro. 

De acordo com o engenheiro eletricista e palestrante, Maurício Arce Dantas, a plataforma é uma junção de ferramentas unificadas que surgiu para aperfeiçoar os serviços de construção. “A BIM é uma nova maneira de projetar e executar as obras com mais assertividade. Sua tecnologia permite impedir o surgimento dos conflitos em todo e qualquer projeto, uma vez que arquitetos, engenheiros e projetistas podem utilizar o sistema em conjunto e com isso dizimar os problemas que muitas vezes só apresentam visibilidade quando a obra está sendo executada, como por exemplo, um problema na rede de tubulação”, explica.

Maurício acrescenta que com a implantação da plataforma, os resultados obtidos são amplamente satisfatórios. “É uma tecnologia que já vem sendo utilizada pela indústria da construção há cerca de 10 anos em vários países do mundo.A adesão desse conjunto de sistemas possibilita não apenas a detecção de futuros conflitos, mas também ajuda na fiscalização, torna o processo da obra mais enxuto reduzindo o custo operacional e de gerenciamento, gerando ao final uma economia entre 15 e 20% do valor total”, revela.

Segundo o Diretor-Técnico da Cehop, Howard Alves Lima, a implantação da plataforma propicia ganhos antes não imaginados. “Com o uso dessa tecnologia, que segundo o Governo Federal, a partir de 2021 deverá ser obrigatoriamente aplicada, os problemas relativos às obras tornam-se bem mais fáceis de serem solucionados, visto que todos os envolvidos no projeto podem trabalhar simultaneamente durante sua elaboração, e, conflitos que sempre surgem na parte orçamentária, estrutural, elétrica, hidráulica, redes de esgotos, entre outros, são resolvidos antes de se tornarem problemas. Além disso, o acompanhamento da execução dos serviços é facilitado e, ao final do processo, teremos uma obra com o seu valor bem mais próximo da realidade, já que os cálculos dos quantitativos são mais precisos, e, o mais importante, diminui-se drasticamente a quantidade de aditivos”, ressalta.

Para o engenheiro civil da Cehop, Marcos Pinheiro, a palestra foi muito esclarecedora. “Já tinha ouvido falar da plataforma e me impressionei o quanto além de interessante, ela é eficiente não apenas no processo de elaboração dos projetos, mas principalmente no acompanhamento e fiscalização quando ele já se tornou obra. Sou da época em que a engenharia utilizava o método analógico, porém, me adapto facilmente às novas tecnologias e esse novo sistema além de tornar os serviços mais rápidos e práticos, proporciona economia e tempo desprendido”, afirma. 

 

 

Atualizado há